É para a dignidade que Deus nos criou

Por Romilto Lopes

IP Maio 2014

Este ano a Igreja no Brasil meditou sobre o Tráfico Humano, através da Campanha da Fraternidade. “É para a liberdade que Cristo nos libertou” (Gl 5,1). Nosso chamado como filhos de Deus é para caminhar livremente: a nossa dignidade tem seu alicerce na liberdade.

Neste mês de maio temos muitas datas para lembrar o quanto a liberdade humana corre risco: dia 13 lembramos o dia da abolição da escravatura no Brasil, uma ferida que prejudicou e ainda prejudica muitas pessoas, famílias e comunidades. E sabemos que embora tenhamos uma lei que proíba a escravidão, mesmo assim encontramos diversas formas “modernas” de escravizar. Precisamos combater toda forma de escravidão. Precisamos combater também o preconceito que existe contra as pessoas negras, dentre outras formas de preconceito. Deus não faz distinção de pessoas (Atos 10,34) e nós como filhos e filhas dele também não devemos fazer.

Recordamos ainda neste mês o dia 18, dedicado ao combate ao abuso de crianças. Como vimos na Campanha da Fraternidade, um dos objetivos do tráfico humano é escravizar pessoas, crianças inclusive, para a exploração sexual. É preciso ter um olhar crítico e cuidadoso sobre as pessoas que frequentam nossas casas, os cuidadores, professores, e demais profissionais, vizinhos, amigos e parentes que estão mais próximos de nossas crianças. É alto o índice de abusos cometidos por pessoas próximas das crianças. E no dia 25, têm ocorrido diversas manifestações pelo mundo afora a fim de chamar a nossa atenção para os crescentes casos de desaparecimento de crianças.

Mas vejamos também o lado bom neste mês dedicado às mães. No dia 25 também se comemora o Dia Nacional da Adoção: é possível dar outro destino às crianças, adolescentes e jovens. O amor dedicado é capaz de transformar vidas. E a adoção é uma forma de gestar, gerar um filho.

Sejamos promotores da conscientização da dignidade humana: todos somos filhos de um mesmo Pai que nos adotou em Jesus, seu Filho único, e que tem cuidado de nós.

Deixe uma resposta