A espiritualidade da vida religiosa

O seguimento a Jesus Cristo é um desafio. O início da Igreja foi marcado por perseguições, incompreensões, mas também pela unidade e a vida em comum entre os que aderiam a fé cristã. As primeiras comunidades cristãs ficaram conhecidas pelo testemunho de partilha e solidariedade. O amor fraterno deixou marcas e impulsionou a Igreja em toda a sua história.

Hoje, a diversidade de carismas e expressões vocacionais na Igreja revela essa riqueza que expõe a finalidade do seguimento a Jesus: a unidade.

Mas essa unidade não expressa uma simples igualdade, justamente porque na diversidade está o maior valor. E a vida religiosa está inserida nesse contexto: é uma tentativa de viver radicalmente a experiência das primeiras comunidades cristãs por meio dos votos evangélicos de pobreza, castidade e obediência, no caminho deixado por um carisma fundador. Assim surgem as ordens e congregações religiosas, que traduzem por meio de uma espiritualidade própria um jeito atual de viver em comunidade cristã.

Em nossa paróquia está presente a Congregação dos Padres do Sagrado Coração de Jesus, ou Dehonianos. Expressam um carisma que faz do amor e da reparação o caminho a ser percorrido para viver a espiritualidade do Coração de Jesus: a oblação. Os dehonianos fazem da oblação uma via para unir-se ao projeto de Cristo por uma civilização do amor, onde justiça e solidariedade sejam os frutos diretos.

A vida religiosa continua sendo um desafio. É preciso coragem para assumir essa experiência e o próprio Jesus garante que não é preciso ter medo, pois Ele mesmo acompanha e dá sustento, ensinando pela mansidão e humildade como construir o Reino de Deus entre nós.

 

 

Deixe uma resposta